top of page

O RIO COXIM E SUAS ENCHENTES. ROTAS DAS MONÇÕES ONTEM E HOJE


Fotos : rio Coxim em seu volume normal e em uma cheia no ano de 2022.


Para muitos que percorreram o trajeto fluvial de Porto Feliz as minas auríferas de Cuiabá, se o rio Coxim fosse o primeiro a ser navegado, os primeiros monçoeiros teriam desistido dessa jornada.


“Rio Quecheim - Fúnebre e horrorosa viagem é a que vos prepara nesta barra amados amigos meus: é este aquele rio tão celebrado como temido dos sertanistas mais práticos (...) que se fosse o primeiro nesta viagem ninguém a empreenderia, porque rara esta canoa que não perigasse nela, pelos inumeráveis precipícios e correntezas violentas que em si tem” ( Noticia 8ª prática escrita por Francisco Palacio em 1726. In Relatos Monçoeiros).


Quase trezentos anos depois, as características gerais do rio pouco mudaram, pois continua sendo um rio turbulento em que poucos são os pilotos habituados a navegarem desafiando as inúmeras cachoeiras e corredeiras.


É um rio que em grande parte do percurso entre Camapuã e Coxim, corre encaixado por morros, falésias e Canions, tornando sua navegação mais perigosa nos períodos de muitas chuvas.


“Na opinião do primeiro cientista nascido de gente de São Paulo, o mais penoso trecho da viagem monçoeira era o da navegação do Coxim, a que chama Cuxiim. [Francisco José de Lacerda e Almeida] Com verdadeira emoção fala-nos das agruras da travessia do Coxim,[...] Sinistro o aspecto do desfiladeiro, que o Coxim corta, em corredeira entre paredões muito altos de notável cañon. E o rio era sujeito a enormes empolamentos torrenciais súbitos ás vezes de cinquenta palmos [11,00 m]. “rio melancólico e fúnebre mas águas claras e saborosas”, eis como o classifica o astrônomo. Consignou Lacerda a admiração causada pelo vulto da inundação causada pelos rios mato-grossenses. (TAUNAY).

“Era minha intenção fallar da grandeza da cheia quando acabasse de navegar por este rio ; mas a circunstancia da navegação d'este dia me obriga a fazelo agora. Este estreito rio, represado entre montanhas e apertadas Ribanceiras, sobe a mais de 50 palmos de altura, como mostrão os signaes das arvores.” (Copia de um Diário, que escreveo o Dr. Francisco José de Lacerda e Almeida, Astrônomo de Sua Magestade na Capitania de Matto-Grosso, no anno de 1786).


“Projeto Resgate, Promoção e Valorização do Patrimônio Cultural da Rota das Monções. Fundo Estadual de Defesa e de Reparação de Interesses Difusos Lesados – FUNLES MS / OSC Espaço Manancial/ Salt Media”.


Rota das Monções: "Se o Brasil nasceu na Bahia, o Brasil cresceu por aqui.”


Saiba mais sobre a rota das monções.

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page