top of page

CIDADE DE COXIM: NO PASSADO ROÇA DO JOÃO ARAUJO, CACHOEIRA DA BARRA E POUSO ALEGRE.


Foto: De Paula – Confluência do rio Coxim com o Taquari. Perímetro urbano da cidade de Coxim (projeto de checagem dos mapas de uso do solo da bacia Hidrográfica do Alto Paraguai / Agencia Nacional de Águas / Grupo de Acompanhamento do Plano de Recursos Hídricos da bacia do Alto Paraguai- 2016).


A descoberta do ouro em Cuiabá em 1718 provocou grande migração de pessoas, que saindo de São Paulo se dirigiam as minas, a procura do precioso metal, como também para praticar comercio e a oferecer serviços no novo núcleo populacional criado nos sertões.


A viagem até as minas era feita através da navegação fluvial em canoas. Grupos de pessoas, organizavam expedições com varias embarcações para poderem enfrentar os desafios da longa viagem. Monção era o nome dado ao comboio de canoas, que navegando pelos rios estabeleceram a ligação das minas de Cuiabá a São Paulo.


Ao longo do trajeto, com o passar dos anos, pontos de pouso, de apoio, ou de descanso, acabaram por se transformar em núcleos habitacionais originando vilas e cidades. Foi assim que surgiu a cidade de Coxim em Mato Grosso do Sul.


O primeiro núcleo populacional dessa cidade pantaneira foi estabelecido as margens do rio Coxim, antes da confluência com o rio Taquari, no atual bairro Piracema. O local era conhecida á época como ROÇA DO JOÃO ARAÚJO. Posteriormente a localidade passou a ser referida como a BARRA DO COXIM.


Logo abaixo da foz do rio, havia uma cachoeira, que para ser transposta demandava considerável esforço dos tripulantes e passageiros. Era chamada de CACHOEIRA DA BARRA. Os navegantes habituaram-se a parar para descanso e pouso em um porto, logo abaixo da cachoeira, a que chamavam de POUSO ALEGRE. Foi o início do centro urbano da atual cidade de Coxim.


“Ponto singular da longa travessia era o chamado Pouso Alegre, no Taquari. Lá se encontravam as canoas que de Araraitaguaba subiam com as que de Cuiabá desciam para o rio de Povoado.(HOLANDA in Relatos Monçoeiros).


“Projeto Resgate, Promoção e Valorização do Patrimônio Cultural da Rota das Monções .

Fundo Estadual de Defesa e de Reparação de Interesses Difusos Lesados – FUNLES / OSC Espaço Manancial/ Salt Media”.


Rota das Monções: "Se o Brasil Nasceu na Bahia, o Brasil Cresceu por aqui.”_



20 visualizações0 comentário

留言


bottom of page