top of page

A MÚSICA E AS CANÇÕES AO LONGO DO TEMPO NA ROTA DAS MONÇÕES


Foto: Cid Nogueira 2017 – Expedição monçoeira no encontro das águas do rio Jauru com o rio Coxim.


Nas expedições fluviais rumo as minas de Cuiabá, a tripulação e os passageiros das monções, após vencerem as dificuldades do encachoeirado e perigoso rio Coxim, transpunham a última cachoeira do percurso, que se encontrava na junção do rio Taquari. O comboio de canoas, então parava para descansar e repousar exatamente no ponto que está situado hoje a área central da cidade de Coxim. O porto de paradas das canoas era chamado e conhecido como o Pouso Alegre.

O ponto de parada, era chamado de Pouso Alegre pois os viajantes costumavam comemorar fazendo grande festa, regada de bebida alcóolica, toque de tambores, danças e cantigas entoando musicas da época.


“ Depois do Cochim andamos pelo rio Taquari, muito largo... e por isso passada, ela, felizmente, dão-se muitas salvas, e tocam-se caixas, tambores, etc...e nessa noite há uma grande ceia à custa dos patrões para os camaradas, que se embebedam e passam a noite a dansar.”(Carta de um passageiro de monção 1785 – TAUNAY in Relatos Monçoeiros).


O Pouso Alegre, muitos anos depois, veio a se transformar na cidade de Coxim. A cidade monçõeira, passados mais de 200 anos, não perdeu sua característica de cidade festeira, ponto de encontro de diversas manifestações culturais, onde nasceu e cresceu o poeta Zacarias Mourão, que perenizou sua imagem com a composição “Pé-de-cedro de Coxim”, que se tornou o hino oficial da cidade.


Existe no entanto, desde o ano de 1979 uma canção que cala fundo nas lembranças dos sul-matogrossenses e que embala e anima as atuais expedições monçoeiras. É a música Monções, composta e cantada pelo grupo musical ACABA, os canta-dores do pantanal. Se o “Pé-de-cedro” e o hino oficial da cidade de Coxim, Monções é o hino oficial da rota das monções.


“Em longas canoas de tronco inteiriço,

Sem leme, nem mastro, sem quilha.

Lá íam as monções sobre as terras encharcadas

Junto ao Fecho dos Morros.


Na geografia dos rios, as bandeiras das águas,

Rumo às minas de Cuiabá, Ao encontro de Itaverá,

Nas terras dos Paiaguás. Lá íam as monções.


Do Apa a Albuquerque,

Até o Rio do Porrudos,

ao fugidio Puerto de los Rejos”

(Letra da Monções - Grupo ACABA -1979)




“Projeto Resgate, Promoção e Valorização do Patrimônio Cultural Sul-Mato-Grossense através da temática histórica da Rota das Monções no Rio-Cênico Rotas Monçoeiras e seu entorno /OSC Espaço Manancial/ Fundo Estadual de Defesa e de Reparação de Interesses Difusos Lesados – FUNLES”.


Rota das Monções – “Se o Brasil nasceu na Bahia, o Brasil cresceu por aqui”.

7 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page